dielüge

Talvez o que mais me atormenta nesses meses é o continuo pensamento nas coisas que se passaram, e talvez a causa disso seja todos aqueles ao meu redor insistem em perguntar dela, e saber como ela está, e saber como nós estamos. Acho que todos me perguntam por se lembrarem de como éramos grudadas e confidentes. Acho, ainda, que ninguém imagina o quanto me dói lembrar do nosso passado e o quanto é raro eu contar essa história sem que uma lágrima interfira meu pensamento. Há vezes que os pensamentos se tornam sonhos; e os sonhos me perturbam o dia todo.

Talvez ela não veja que a única coisa que poderia nos reaproximar, seria uma conversa franca, sincera e sem o compromisso do perdão. Mas o fato é que o meu orgulho é demais, para que eu não vá atrás. Não, eu não vou.
Talvez eu não consiga voltar atrás porque a única coisa que me restou, foi um pouco de amor próprio.


Que cara você vai fazer quando a sua casa desabar?
Mas olha só pra você ficou horrível sem mim
Achou que ia arrasar mais de mil caras afim

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s